Como convencer a empresa a investir em Segurança do Trabalho

como-convencer-a-empresa-a-investir-em-seguranca-do-trabalho-1

Uma das dificuldades de todo Profissional de Segurança do Trabalho é ter argumentos que consigam convencer a empresa a investir em melhorias para reduzir o número de acidentes e de doenças do trabalho. Neste post vamos apresentar seis tópicos que podem ajudá-lo a provar que vale muito a pena investir no nosso setor, pois caso não se invista a empresa pode perder rios de dinheiro.

Multas pela falta de segurança

Quando a empresa tem um alto índice de acidentes ou doenças do trabalho acaba sendo mais visada nas fiscalizações e com mais fiscalizações acabará pagando mais multas.

Para o empresário ter uma noção de quanto isto pode custar, precisamos levantar todos os itens das Normas Regulamentadoras que podem vir a se tornar uma multa para a empresa decorrente de acidentes e doenças, utilizando a NR 28 que estabelece às multas.

Aumento do FAP

De acordo com a Lei 8212/91, toda empresa deve pagar 20% para a previdência sobre o total das remunerações pagas aos segurados empregados e trabalhadores avulsos e de acordo com o grau de risco de sua atividade econômica deve acrescentar 1, 2 ou 3% a estes 20%.

O FAP é aplicado justamente sobre as alíquotas de 1, 2 ou 3%. No caso da sua empresa ter excelência em Saúde e Segurança do Trabalho, poderá passar a pagar até a metade da alíquota, porém para as empresas totalmente negligentes com o trabalhador este valor pode até dobrar.

Ações regressivas do INSS

O INSS desde 1991, com base no artigo 120 da Lei 8213/91 pode e realmente tem realizado várias ações regressivas contra as empresas que não seguem a legislação de SST e como consequência acabam trazendo prejuízo para os cofres previdenciários.

Ou seja, se houve um acidente ou doença que tenha ocorrido por uma falha da empresa, o INSS irá fazer os pagamentos previstos ao trabalhador, mas poderá solicitar à empresa o ressarcimento destes gastos por esta não ter seguido a legislação que evitaria a ocorrência do sinistro.

Processos judiciais

Se a empresa não pensa muito na segurança dos seus trabalhadores uma consequência frequente é o elevado número de processos judiciais. Além disso, em parte dos processos trabalhistas teremos a necessidade de uma perícia judicial, cujo custo acaba ficando com a empresa.

Absenteísmo

Como você já sabe, o absenteísmo está relacionado às faltas dos trabalhadores e é meio lógico que caso tenhamos postos de trabalho gerando acidentes ou doenças teremos uma maior incidência de faltas.

Como consequência das faltas, a empresa para conseguir manter a sua produção, terá que aumentar o ritmo de trabalho e até mesmo fazer hora extra, ambas as ações com consequências à segurança, mas principalmente à saúde do trabalhador.

Maculação da imagem da Empresa

Uma empresa reconhecida pela frequência e gravidade dos acidentes acaba perdendo profissionais, não apenas os que não querem entrar, mas aqueles que estão loucos para sair. Além disso pode perder também atuais ou futuros clientes.

E em uma fiscalização, por mais isento que seja o auditor fiscal, este pode vir a ser influenciado pelas notícias e mesmo de forma inconsciente realizar seu trabalho de forma mais rígida.

Concluindo, nosso objetivo é convencer o empresário de que o investimento em Segurança do Trabalho é realmente vantajoso e que esta falta de investimento pode trazer um grande prejuízo para a empresa. Para isto não podemos “forçar” uma situação, ainda que seja para uma causa nobre, sempre precisaremos ter todos os argumentos respaldados.

 

Gostou do meu artigo? Comente abaixo para que possamos conversar mais sobre o tema, isso será importante para o nosso Mercado de trabalho!

Até breve!
Prof. Msc Mário Sobral Jr

 

cta_blog_zanel_ebook_guia

Posts Relacionados

raspa-protege-contra-radiacao-ultravioleta

A proteção contra radiação ultravioleta é uma preocupação constante na segurança do trabalho, em especial...

saude-mental-no-trabalho

Integrar a saúde mental no ambiente de trabalho tem se mostrado crucial para promover o...

abril-verde

Em 2022, foram notificados 612,9 mil acidentes de trabalho no Brasil, dentre eles 148,8 mil...

Comentários

12 respostas

  1. Excelente post, parabéns!

    Expôs de forma clara as desvantagens de “não fazer” segurança no trabalho.

    Compartilhei na minha página do facebook (www.facebook.com/rnoronhaconsultoria)

    Abraço,
    Rodrigo

  2. Excelente post,parabéns;

    Explicou de maneira clara e objetiva a importância da Segurança do Trabalho para a empresa e para os colaboradores.

    1. Cara Jucelaine, muito obrigado por sua contribuição.
      Nosso objetivo é este mesmo, contribuir de maneira clara e fácil, para o sucesso do nosso mercado de EPIs!
      Fique conosco!
      Até breve!

  3. E QUANDO UMA EMPRESA QUASE NAO TEM OU NAO TEM ALGO QUE TANGE SEGURANÇA E SAUDE OCUPACIONAL POR EXEMPLO O GRAU DE PÉRICULOSIDADE E MUITO POUCO, O QUE PODE SER FEITO AINDA PELO TECNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO ALGO QUE ELE AJUDE A EMPRESA A INVESTIR E EVOLUIR SEM DANOS COM AÇOES JUDICIARIAS ?

    1. Lucas, o profissional de segurança do trabalho deve avaliar todos os itens citados no artigo. Além destes pode considerar: CUSTOS MÉDICOS, HORAS GASTAS PELOS PROFISSIONAIS DA EMPRESA COM O ACIDENTE,MANUTENÇÃO OU SUBSTITUIÇÃO DA MÁQUINA DECORRENTE DO ACIDENTE, GASTO COM EPI etc. Ou seja, é preciso verificar tudo que pode ser considerado como prejuízo para a empresa. Um abraço e obrigado pelo comentário.

  4. Aqui na BMA o que as empresas tem mais dificuldade e que conseguimos usar como argumento de venda, é o controle de absenteísmo. Poucos profissionais de RH tem conhecimento ou se quer sabem consultar os CID’s. Procuramos estruturar o nosso controle de absenteísmo fazendo um trabalho de análise e trazendo o empregado para uma consulta.

    1. Caro Rodrigo, bom dia!
      Muito obrigado por sua participação e depoimento!
      Ficamos felizes e orgulhosos por seu relato!
      Continue a trabalhar sério, porque nosso Mercado precisa de Profissionais como Você!
      Boa sorte e muito Sucesso!
      Até breve,
      Fernando Zanelli

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *