Muito mais do que penalidades, não usar EPIs pode custar vidas

penalidades-por-nao-usar-epis

Ao ler isso você pode até acreditar que não é verdade, ou que estamos nos referindo há um cenário de décadas atrás, mas a verdade é que até hoje, em empresas de diversos portes, ainda há ocorrência de acidentes de trabalho por falta de uso de EPI.

Não são todos os empregadores que além de fornecer os equipamentos de proteção, investem também em um departamento específico para elevar o nível de segurança dentro da empresa.

No blogpost de hoje, vamos falar sobre os riscos que uma empresa corre e proporciona aos colaboradores ao não investir em EPIs.

O que são EPIs e EPCs e qual a importância deles?

De acordo com a NR 6 é obrigação das empresas oferecerem aos seus colaboradores EPIs e EPCs de forma gratuita. Assim também é responsabilidade delas o bom funcionamento, conservação e a substituição dos itens caso seja necessário.

Caso você não esteja familiarizado com os termos EPI e EPC vamos explicar aqui de maneira resumida para você entender:

  • EPIs: equipamentos de proteção individuais usados para aumentar a segurança em seu trabalho. Exemplo: blusão de raspa, protetores auriculares, luvas de raspa, óculos de proteção etc.
  • EPCs: são acessórios para proteção coletiva. Ao invés de proteger apenas o colaborador que está usando o EPI, o EPC tem objetivo de proteger um grupo. Exemplo: rede de proteção, sinalizadores de segurança, extintores de incêndio etc.

Como você pôde ver, é fundamental usar ambos os equipamentos para preservar a saúde e bem-estar dos colaboradores de forma ampla, uma vez que o uso do EPC complementa o uso do EPI.

Mas apenas disponibilizar equipamento de proteção coletiva quanto individual não é suficiente para garantir um ambiente com o menor risco possível de acidentes. A empresa também deve fornecer treinamentos frequentes aos trabalhadores sobre as melhores práticas de uso desses equipamentos.

Quando essa segunda etapa não acontece de maneira efetiva, há o que chamamos de negligência no uso de EPIs ou EPCs. Entenda o impacto disso no próximo tópico.

Negligência no uso de EPI: o que pode acontecer?

Imagine a seguinte situação: você está em casa e resolve fazer uma receita que vai ao forno no momento de preparo. Ao dar o tempo indicado nas instruções, você precisa retirar o recipiente – que está quente – do forno e para fazer isso usa uma luva que está rasgada. O calor imediatamente passa pela fissura e chega a sua pele causando queimaduras.

Esse mesmo cenário pode acontecer quando um colaborador usa de forma errada ou não usa o EPI destinado à sua atividade.

Negligenciar a utilização de equipamentos de segurança afeta a saúde e a qualidade de vida do trabalhador, podendo causar acidentes que possam gerar lesões e doenças como:

  • Fraturas;
  • Perda de membros;
  • Contusões;
  • Dermatose ocupacional;
  • Surdez temporária ou definitiva;
  • Osteomusculares relacionados ao trabalho

Dependendo da gravidade do acidente, isso pode ocasionar o afastamento temporário do colaborador e até o óbito. No ano passado, um profissional do ramo de refrigeração perdeu a sua vida ao cair do 8º andar de um prédio em que estava trabalhando por não estar usando o cinto de segurança.

EPIs e EPCs salvam vidas, a disponibilização e o uso correto desses equipamentos não são opcionais e sim obrigatórios. As consequências da negligência do uso deles impactam tanto na vida do colaborador quanto da empresa que é obrigada a disponibilizá-los.

Entenda as consequências de não disponibilizar EPIs e EPCs

Como falamos no início deste blogpost, é obrigação de toda empresa oferecer esses dois tipos de equipamentos de segurança para a sua equipe. As organizações que não oferecem estão sujeitas a sofrer diversos problemas como:

  • Aplicação de multas: caso haja uma fiscalização os colaboradores não estejam usando os EPIs, a empresa pode ser multada. Dependendo da infração cometida, o valor da multa pode ser correspondente a 50 salários-mínimos ou mais;
  • Diminuição na produtividade: caso o colaborador sofra um acidente de trabalho ele terá que ser afastado imediatamente. Isso afeta diretamente a produção da empresa, pois contará com uma pessoa a menos, consequentemente um volume menor de atividades;
  • Possibilidade de interdição: em situações mais graves, a empresa pode ser interditada e ter as suas atividades interrompidas até que as leis e normas de segurança sejam cumpridas de acordo com o que é previsto;
  • Processos judiciais: caso fique comprovado que o colaborador se acidentou porque a empresa não oferece condições de segurança, eles podem processá-la judicialmente. Dessa forma, gerando custos como indenizações e pensões.

Veja aqui sobre todas as penalidades que sua empresa pode estar sujeita caso não forneça EPIs

Mas você sabe o que pode acontecer caso a sua empresa disponibilize os EPIs, treinamentos necessários e mesmo assim o colaborador se acidenta por negligenciar o uso dos equipamentos?

Caso isso fique comprovado, a empresa pode demitir o profissional por justa causa, pois ele estará descumprindo determinado no artigo 158 da lei nº 6.514. Além disso, ele poderá não ter o direito a receber a indenização, uma vez que sabia dos riscos, tinha acesso aos equipamentos de segurança e mesmo assim optou por não os usar.

Portanto, é fundamental que tanto empregador quanto o profissional de SST estejam sempre atentos aos cumprimentos das normas de segurança. Não apenas para evitar medidas punitivas e custos, mas também para oferecer um ambiente agradável e seguro para os profissionais que estão ali.

Somente desta forma será possível reduzir os riscos e os acidentes ocorridos no ambiente de trabalho.

Antes de ir, fale pra a gente o que achou desse conteúdo! Você pode deixar sua opinião, dar sugestões ou simplesmente deixar sua contribuição nos comentários.

E se você precisar de ajuda para escolher os EPIs ideais para a sua equipe, conte conosco. Aqui você encontra o que há de melhor e mais moderno em equipamento de segurança.

Um grande abraço e até a próxima,
Fernando Zanelli

cta_blog_zanel_ebook_manual

Posts Relacionados

raspa-protege-contra-radiacao-ultravioleta

A proteção contra radiação ultravioleta é uma preocupação constante na segurança do trabalho, em especial...

saude-mental-no-trabalho

Integrar a saúde mental no ambiente de trabalho tem se mostrado crucial para promover o...

abril-verde

Em 2022, foram notificados 612,9 mil acidentes de trabalho no Brasil, dentre eles 148,8 mil...

Comentários

2 respostas

  1. Concordo em numero,genero e grau , o mais importante é o cuidado com o ser humano ,pois sentira valorizado com a preocupaçao de sua segurança e melhorara sua qualidade de trabalho, mas tudo isso depende tambem da consciencia do colaborador no uso devido do equipamentos de segurança ,para a empresa muito importante pois livrara de todos os problemas que a falta dos EPIs trara.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *