10 perguntas que toda Revenda de EPIs deve fazer aos fornecedores

perguntas-que-toda-revenda-deve-fazer-aos-fornecedores

Toda Revenda de EPIs deve ter contato direto com seus fornecedores para garantir que suas necessidades e condições de pagamento, bem como entregas sejam esclarecidas desde o início.

Para ter controle da própria carteira de fornecedores, entender o que eles esperam, as Revendas de EPIs devem montar uma lista de verificação junto aos fornecedores para se planejarem melhor e fazerem negócios mais assertivos e tê-los trabalhando lado a lado.

Aqui estão 10 perguntas-chave que você deve considerar fazer aos fornecedores antes de fazer negócios com eles. Que tal conferi-las e ter fornecedores mais satisfeitos? Vamos nessa?

1.   Quais são as minhas condições de pagamento e são negociáveis?

Uma das principais maneiras de fortalecer sua Revenda de EPIs é negociar os termos com seus fornecedores. Embora os pagamentos de faturas geralmente sejam devidos em 30 dias, você pode conversar com seu fornecedor sobre a prorrogação de mais dias para realizar o pagamento.

Também é válido perguntar se haverá desconto por pagamento adiantado.

2.   Quais serão os meus custos totais?

Embora um fornecedor possa lhe dar uma cotação para o custo de um produto ou materiais, não se esqueça de perguntar sobre outras taxas. Por exemplo, você terá que pagar taxas de entrega, sobretaxas de combustível ou taxas de reabastecimento para devoluções? Todos os custos são importantes para as suas margens!

3.   Você pode me garantir a troca em tempo hábil, em caso de defeito?

É claro que em caso de defeito ou qualquer irregularidade que você note no produto, o fornecedor fará a troca. Por isso, antes de entregá-lo ao seu cliente, verifique se a embalagem não está danificada e se o produto está em perfeito estado de uso.

Embora a troca seja possível, nem sempre acontece em tempo hábil para que o colaborador do seu cliente possa executar as atividades que lhe competem. Com isso, se for um produto muito específico, não haverá outro para substituir aquele que será trocado e sua imagem como revendedor ficará prejudicada. Combine com seu fornecedor a troca em tempo hábil para não prejudicar nenhuma das partes envolvidas.

Quando se trata de Equipamento de Proteção Individual não é possível realizar a atividade laboral sem o EPI. Imagine um trabalhador da indústria automobilística ficar um dia inteiro sem trabalhar porque sua Luva de Raspa ou Luva de Vaqueta deve ser trocada e não chegou ainda a nova.

4.   Você vai vender direto para o meu cliente final?

Se você é uma Distribuidora ou Revenda de EPIs que compra um produto acabado, quer ter certeza de que seu fornecedor não o venda diretamente ao usuário final a uma taxa de desconto tão acentuada que você não possa competir. Às vezes, os fabricantes usam distribuidores para ajudar a estabelecer sua marca e, em seguida, os eliminam.

Você só saberá se um fabricante vende diretamente ao usuário final, se fizer a pergunta.

Outra tática e buscar empresas que representam esta marca em outro estado. Faça uma pesquisa para saber como é o relacionamento comercial com este fabricante.

5.   Há uma Política de Devolução caso o produto “encalhe” na Revenda?

Você não quer ficar preso a um produto acabado que fracassa ou a peças e matérias-primas de um produto que não vende. Converse com seus fornecedores sobre suas políticas de devolução. Isso fará com que seja possível devolver produtos ou materiais não vendidos, seja por crédito ou dinheiro.

6.   O que acontece se os produtos não chegarem? 

É inevitável que às vezes os pedidos cheguem atrasados. Quer saber se seus fornecedores oferecerão um desconto para mercadorias que não chegam a tempo ou pagam por mercadorias que não entregaram e você teve que obter de outra fonte? Então, pergunte-os e combine como Revenda de EPIs e fornecedor deverão agir em caso de atraso de entrega. Se o atraso se estender por dia, será usado o mesmo critério de um atraso de horas? Tudo isso deve ficar claro para ambos.

Justifique ao seu fornecedor que você tem um cliente importante na “outra ponta” esperando pelo EPI, e que o trabalhador não poderá “ficar parado” sem trabalhar, por conta da falta de EPI.

7.   Qual é a minha margem bruta esperada?

Se você é um Distribuidor, pergunte ao fabricante quanto você ganhará com a venda de determinado Equipamento. Por exemplo, se sua empresa geralmente tem uma margem bruta média de 20% e seu fornecedor diz que você deveria receber apenas 10% em seus produtos, tente negociar para que a margem seja favorável e benéfica para ambos.

8.   Em que circunstâncias os preços podem mudar? Para cima e para baixo!?

Você precisa se preparar para os aumentos nos preços. Pergunte aos seus fornecedores o que gera variação nos preços. Verifique se é possível determinar a periodicidade dos aumentos. Se estão vinculados à inflação ou a algum índice praticado na indústria. Quanto mais informações você tiver sobre aumento nos preços, melhor poderá se programar.

Se a matéria-prima sofrer algum aumento inesperado, por exemplo, se o couro para confeccionar as Luvas de Raspa aumentou, o preço mais alto será repassado em que prazo? Quando os preços subirem, quando você será comunicado? Por outro lado, se os próprios custos de um fornecedor caírem, seu preço também cairá?

9.   Você terá desconto na compra “de volume”?

Frequentemente, os fornecedores oferecem incentivos. Você pode perguntar sobre descontos para os quais você pode ser elegível. Se você concordar com uma determinada meta de compra e alcançá-la, combine um desconto. Não custa nada tentar quando você tiver a vantagem de aumentar o volume do pedidos para o seu fornecedor. Quanto maior a compra, melhor pode ser o valor negociado.

10. O produto é fabricado e testado de acordo com as normas e leis do Brasil? 

Você deve adquirir produtos que tenham certificação e que sejam confeccionados de acordo com as normas e leis brasileiras. Se não for assim, você poderá ter sérios problemas em caso de acidentes e aceitação por parte dos Profissionais de SST. Por isso, confirme se os produtos são certificados e se atendem as normas de segurança.

Em caso de importação, é preciso que tenham sido aprovados para uso.

Agora queremos saber de você, há mais alguma pergunta que não trouxemos aqui e que você acredita que não pode faltar? Conte-nos!

Não se esqueça de compartilhar esse conteúdo com seus amigos.

Um grande abraço e até breve!

Até breve!
Fernando Zanelli

Posts Relacionados

epis-de-raspa-e-vaqueta-na-revenda

Quando se trata de garantir a segurança no ambiente de trabalho, especialmente em setores como...

luva-de-cobertura-o-que-e-e-como-deve-ser-utilizada-2

[Nota de atualização: Conteúdo revisado e atualizado em 2024, de acordo com as diretrizes atuais...

luva-de-raspa-zanel

[Nota de atualização: Conteúdo revisado e atualizado em 2024, de acordo com as diretrizes atuais...

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *